Gatos e Homens (poema para John Steinbeck) junerleiluisdiasmoraessaletti

há muito nossos gatos domésticos não se revoltam

antes sonhavam dentes de sabre

bebiam Eisenstein, Vigo, Buñuel, Pino Solanas

queriam botas de sete léguas e setenta línguas

liam Artaud, Rimbaud, Tsvetaieva, Akhmatova, Juana Ines de La Cruz

os passos eram Isadora Duncan, Nijinsky, Pina Bausch, Julio Bocca

ousavam Brueghel, Bosch, Caravaggio, Frida e Camille Claudel

ouviam Bach, Saint Colombe, Nina Simone, Clash

hoje, cabisbaixos tomam leite sintético

cerraram os ouvidos pra o chamado da floresta

odeiam tigres, onças e leopardos

não atravessam a Avenida André Aguiar

não lêem meu irmão mais novo

vêem com os óculos dos ocupantes

tem sangue gelado, cérebro fechado

abrem portas, portos, braços e pernas

para os invasores

no coração e na mente

guardam a lógica dos cadeados

(junerleiluisdiasmoraessaletti)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s